Casa Arabá

São Paulo, SP – Brasil

Uma Casa de Vila Revisitada.

Arquitetura;

Estúdio BRA Arquitetura;

Autores;

André di Gregorio,
Rodrigo Maçonilio

Supervisão de projeto e obra;

Lais Pannia;
Renata Fassio;

Colaboradores

Victoria Menezes;
Andrei Barbosa;
Vitor Gomes;

Ano

2021

Área

181,26m²

Fotografia

Maura Mello

Localização

Vila Madalena, São Paulo – SP

Antes.

O convite para o redesenho de uma residência unifamiliar foi feito por uma jovem família.

Em nossa primeira visita ao futuro lar, fomos guiados a partir de uma conversa sobre os desejos de mudança.

Entramos no lote, e após passar por duas vagas de automóveis – cobertas por repetidas vigas de concreto -, abrimos uma pequena porta para adentrarmos ao primeiro cômodo da casa, a sala de estar. Dali para frente, a cada nova abertura de portas um novo cômodo era descoberto, deixando clara a compartimentação da planta original, que, embora tivesse uma boa área de quintal, não aproveitava de suas possibilidades de uso – a não ser para secar as roupas ao sol.

No final do dia os principais desejos ficaram claros. Precisaríamos descompartimentar e rearranjar o uso dos espaços.

Durante / Depois

Para a subtração das paredes, de alguns pilares de concreto e reposicionamento da escada. Pórticos metálicos foram instalados ao longo da planta, reforçando a estrutura.

A antiga vaga de garagem – coberta por pérgolas de concreto – passou a organizar a chegada da casa. Ao passar pelo novo conjunto de portas metálicas e pelo pórtico em chapa metálica dobrada, adentra-se ao hall. O espaço conta com móveis em concreto armado e é demarcado tanto pelo rebaixo do piso – mesmo nível do quintal -, quanto pela materialidade, o fulget.

Ao subir um degrau, guardada por um painel em tábuas de madeiras, está a sala de tv.

O espaço pode ser aberto ou fechado a partir de uma porta de correr do mesmo material. Do lado oposto ao painel/sofá, a escada metálica que dá acesso ao primeiro pavimento tem o primeiro patamar construído em concreto, este que por sua vez, já em formato de banco, percorre toda a extensão da planta.

Parte da iluminação natural do estar se dá por uma abertura zenital, que, filtrada por um muxarabi de madeira, desenha um belo jogo de luz e sombra sobre as plantas. O desenho dessa abertura se repete no desenho do piso – revestido de ladrilho hidráulico vermelho.

No fundo do lote – demarcada pelo vigamento metálico no sentido transversal – está organizada a área molhada do térreo. Ilha de cocção da cozinha e bancada da retaguarda, rompem os limites entre área interna e externa, servindo de apoio para a área da churrasqueira.

Ao subir a escada metálica – atirantada no reforço estrutural – chega-se ao pavimento dos dormitórios.

Disposta do lado voltado para a calçada da vila, a suíte da filha conta com uma nova varanda, executada sobre as pérgolas de concreto da antiga garagem. Além disso, o banheiro conta uma janela em formato cilíndrico, que ao entardecer gera uma luz interessante na fachada. A suíte do casal é voltada para os fundos do lote, e é caracterizada por sua marcenaria em formato orgânico. Além disso, conta com um terraço sobre a laje da cozinha.